Aceite a vida como ela é…

…e não como você gostaria que fosse. 

1. Ninguém me entende

Má notícia: talvez ninguém te entenda mesmo e se você ficar esperando para que sua família te entenda, seus amigos te entendam ou seu parceiro te entenda, é provável que sua vida seja para sempre frustrante. Boa notícia: para ser feliz não é necessário ser entendido, não é necessária a aprovação de ninguém, só a sua! Também não é preciso revoltar-se quando não te entendem. Ser entendido e ouvido é muito bom, mas se você não tem isso na sua vida, vai aprender que “não ser entendido”pode ser bem legal.  Como assim? É isso mesmo! Gente, vamos pensar juntos. Um exemplo: a maioria das pessoas não se preocupa com o meio ambiente, e vocês acham então que “todo mundo” está certo em não dar a minima para o próprio planeta? Loucos são aqueles que reciclam o próprio lixo e não jogam nem um palito de dente na rua? Pessoas não se entendem desde que o mundo é mundo. Não espere ser entendido para viver bem com você mesmo. Não tente convencer ninguém de que você tem razão. Você não precisa disso! Aprenda a respeitar a sua opinião ainda que ninguém concorde com ela.

2. Mas é tão difícil…

A vida é difícil. Não se prenda a fantasias de que todos são felizes e normais, menos você. Não se prenda à fantasia de que todos são bonitos, saudáveis, bem-humorados e bem-sucedidos, menos você. Esqueça a “vida perfeita”, ela não existe, pra ninguém! Tente ter a melhor vida que você possa ter, acredite, isso é mais que suficiente. Deixe a ilusão de perfeição de corpo e mente para as revistas de beleza. Você é real! O que você quer fazer e o que você gosta de fazer é a melhor vida que você terá. E se você ainda não sabe o que quer fazer ou o que gosta de fazer, tente descobrir e talvez o processo de descoberta seja mais importante que a descoberta em si.

3. Não agüento mais

Provavelmente o que você não agüenta mais não é a vida em si e sim lutar todos os dias contra um ideal de vida que você mesmo criou e que será impossível de alcançá-lo, simplesmente porque não existe esse ideal, pra ninguém.  Esqueça o fácil, não é fácil pra ninguém. Para algumas pessoas pode ser ainda mais difícil e a vitória ai é tentar, todos os dias. Perder é necessário e continuar tentando também.

Dói, dói muito às vezes, mas você deve aceitar a dor para depois tentar entendê-la.

4. Não sei mais o que fazer

Se você está esperando que eu diga: “Vá ver a natureza” você está enganado. O que eu quero dizer para você é: “Faça o que sua mente/corpo te pede sem se auto-destruir”. Se você quer ficar em casa chorando, fique, mas sem culpa! Quer ver 10 horas de televisão, veja! Mas sem culpa! Faça o que você tem vontade de fazer e se você não tem vontade de fazer nada, não faça. Só respeite o seu desejo e seja mais compreensível consigo mesmo.

5. Descobri que tenho TPB e estou com medo

Os seus sentimentos e emoções não vão piorar porque você descobriu que existe um nome para o que você sente.  É só um nome e não muda quem você é.

6. Eu me odeio

O que você odeia em você? Seu corpo? Sua personalidade? Sua falta de personalidade? Pessoas normais tem celulite, estrias, flacidez e barriga. Eu ganhei 4 kg esse ano e estava surtando com isso. Mas depois me dei conta que ganhei um ano  cheio de comidas deliciosas! Não me privei de nada! Aqui na Argentina provei sorvetes deliciosos, comi massas espetaculares, vinhos, carnes! Sinceramente foi muito mais divertido viver assim do que passando fome e vontade.  Então eu entendi que o tempo passa, o corpo muda e eu não tenho que me adequar a roupas que já não me servem e sim comprar outras que em nesse momento da minha vida ficarão lindas em mim. Você quer ser aceito, mas… por quem? Ninguém ama outra pessoa pelo corpo que tem e há mais beleza no natural do que você possa imaginar.

Quanto aos seus erros, tente se perdoar, e eu digo isso seriamente! Se perdoar é o primeiro passo para poder conseguir vencer o TPB. Aceite e entenda que você não consegue controlar as emoções como a maioria e que a maioria não é melhor que você por isso. Eu entendi depois de muito tempo que às vezes eu vou sair do controle, não tem jeito. E eu fui buscar pessoas que me aceitam assim. E acredite, existem pessoas que aceitarão você com suas limitações. Mas antes é preciso se amar e tentar todos os dias. Eu tento, todos os dias, e sinceramente não sei se vou conseguir algum dia NUNCA MAIS me descontrolar. Mas nesse tentar todos os dias evitei magoar pessoas que amo e principalmente evito, quase sempre, fazer mal a mim mesma. Só tente, nada mais.

7. Porque eu sou assim?

Eu poderia explicar aqui as questões genéticas, ambientais, os traumas e etc e tal. Mas se você tem o TPB, tente ver por outro ângulo. As pessoas normalmente não aceitam a vida que tem, sempre querem mais disso, menos daquilo. A sua dor provavelmente será muito menor se você aprender a conviver com as suas limitações (e lembre-se, todos seres humanos possuem limitações) e ver o lado bom disso tudo. Borderlines são mais intensos, apaixonados, sedutores, empáticos! Sim, são empáticos, porque sabemos como é terrível sentir vazio, dor emocional e sentimos empatia pelas pessoas que se sentem tristes, vazias. Outra coisa legal é poder olhar para o outro, para a dor do outro. Eu achava que ninguém sofria como eu e talvez a maioria não sofra tanto mesmo no dia a dia. Mas elas também sofrem! E eu percebi que quando estava muito muito mal não podia ver a dor do outro de tão absorvida que estava na minha própria dor. E ao mesmo tempo comecei a me sentir mais forte que qualquer pessoa porque eu estava aprendendo a sobreviver todos os  com uma dor quase insuportável.  E ai a sobrevivência, aos poucos, se tornou vivência. A dor insuportavél foi embora, ficou a minha ansiedade e minha fobia social. Ok, eu aceito que todos os dias é uma luta pra sair de casa, mas ao mesmo tempo é uma chance que eu tenho de vencer todos os dias, porque eu saio de casa todos os dias, ando nas ruas, tomo o ônibus, saio pra me divertir, caminho por ai e ninguém sabe o quanto foi difícil enfrentar os olhares dos transeuntes. Mas eu sei e sei também que enfrentei o meu problema, aceitei o meu problema e isso já me faz feliz. Pra que ser normal se você pode ser você? Eu pareço normal para as pessoas, mas eu sei que há algo em mim que é especial, uma força que me empurra para frente. E essa força sou eu, essa força é você, somos nós. Pare de brigar com você, faça as pazes com os seus erros, com os seus defeitos, com os seus medos. Aceite-os e você saberá o que fazer.

Um abraço grande para todos!

Bruna.